Soja: coronavírus, demanda da China e preços; o que saber antes de vender!


23/03/2020
Soja: coronavírus, demanda da China e preços; o que saber antes de vender!

Assim como os demais mercados mundiais, o da soja permanece com as atenções centralizadas na pandemia do coronavírus ao redor do mundo. A consultoria Safras & Mercado afirma que o avanço da pandemia nas principais economias do mundo continua trazendo grande nervosismo e incertezas para todos os mercados.

As paralisações e restrições impostas em praticamente todos os países que registram casos da doença levam a uma piora da perspectiva para a economia mundial em 2020. “Dia após dia, os impactos econômicos aumentam, e a perspectiva para os mesmos piora. Ainda não sabemos qual será o verdadeiro impacto social e econômico desta pandemia nas principais economias do mundo, mas as contas agora apontam para algo muito grande”, disse o analista de mercado Luis Fernando Gutierrez.

Segundo ele, tal pessimismo continua pressionando os mercados, impedindo a retomada de patamares mais elevados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT).

Safra da América do Sul

Os players também avaliam a situação da safra sul-americana, assim como a evolução do coronavírus na Argentina. A paralisação de um importante complexo portuário argentino, além do decreto nacional de quarentena para todo o país vizinho, trouxe impacto positivo as cotações da soja na Bolsa de Chicago, visto que o complexo soja norte-americano pode ser beneficiado por uma maior demanda.

Demanda da China

Apesar de todo o pessimismo, a notícia do aparente controle da transmissão comunitária na China, país onde a doença teve início, é vista com bons olhos. Aos poucos, a economia chinesa começa a voltar a normalidade, embora os impactos econômicos ainda sejam incertos e possam continuar avançando.

Petróleo

Além disso, nesta última semana houve um certo alívio na questão envolvendo a produção mundial de petróleo. Informações indicam que os Estados Unidos estão prontos para intervir na disputa entre Arábia Saudita e Rússia, podendo levar a uma diminuição das divergências entre os países. A relativa recuperação do petróleo trouxe suporte para recuperações também em outras commodities.

Tendência

A próxima semana deverá registrar novamente uma grande volatilidade. Os mercados irão responder diariamente às novas notícias – positivas ou negativas – com relação à pandemia do coronavírus e suas consequências sociais e econômicas ao redor do mundo.


Outras Notí­cias